dia 22 de julho 2017

Não vou dizer amo-te! Amo-te está longe do que por ti sinto e é um sentimento demasiado forte para se dizer assim ao de leve... Digo antes gosto de ti, por ti sinto um enorme carinho e afeição.
Entraste na minha vida quando nela não queria ninguém, quando julgava não voltar a ser capaz de sentir algum tipo de sentimento. Fizeste em mim ressuscitar sentimentos que pensava estarem mortos, que queria que estivessem mortos, que não queria sentir novamente.
Destruíste a "muralha" que batalhei para construir, fizeste-me sentir como já não me sentia à imenso tempo e depois partiste e só deixaste destroços.
Deixaste-me desfeita em mil pedaços..

por Afrodite Poseidon

dia 20 de julho 2017

Quando por dentro nos sentimos destruídos e que nosso mundo desabou sentimos que a única solução é a morte. Achamos que a morte é a solução para acabar com esta dor sufocante que por dentro sentimos, e as tantas seja, mas também é a maneira cobarde de lidar com os problemas, com os sentimentos... com o sofrimento que sentimos. E quando pensamos em morte, por todo o nosso interior estar em sofrimento, não pensamos em realmente morrer o que realmente queremos é deixar de sentir, é deixarmos de nos sentirmos destruídos é que deixe de doer. Nunca estaremos preparados para uma desilusão, para uma decepção.Esses sentimentos embora nos possam fazer "crescer" também matam um pouco do nosso ser, tornam-nos pessoas mais frias, desconfiadas do mundo e das pessoas que nele vivem. Depois de uma desilusão é difícil voltarmos a confiar em alguém, e difícil voltarmos a abrir as portas do nosso coração pois o receio de nos magoarmos é maior do que qualquer outro sentimento. E eu sou um coração mole, quando só queria ser um coração de pedra, confio e depois quando menos espero vem a dor, a dor que eu não queria sentir. Estou cansada desta dor que me aos poucos vai matando um pouco do meu ser. Tantas vezes abri o meu coração para no fim acabar com ele em pedaços e já não há cola que o deixe inteiro de tantas vezes que ele foi partido. E quando o nosso coração está desfeito o que nos resta? Acho que nada pois sem coração somos só uma alma que vagueia...
Não se esqueçam de ver o video.

por Afrodite Poseidon

dia 22 de junho 2017

Pode-se dizer que sou uma pessoa "fechada", tento não confiar muito nas pessoas e tento não acredito em amores que aparecem do nada, se bem que para amarmos basta estarmos vivos. Podia dizer que a ultima vez que gostei de alguém foi há um ano atrás, mas estaria a mentir se assim o fizesse, embora tivesse o meu coração trancado a sete chaves e uma muralha a minha volta, esse sentimento voltou a me invadir à poucos meses atrás me apanhando desprevenida e deitando abaixo todas as barreiras que tive que construir ao longo de um ano. Se há sentimento que eu odeio é este sentimento que nos corroí por dentro e que aos poucos nos vai destruindo! Eu sabia já há um ano atrás que ia cair bem fundo se me decepcionasse, e tentei dar uma chance, nem sei bem porque, mas algo me dizia e se este que achas que é o errado for o certo na tua vida? Já tinha conhecido pessoas que achava que podiam ser as certas e afinal eram as erradas. Foi o certo, era o certo e ainda podia ser o certo mas deu errado, não culpo a ele, mas também não vou por as culpas todas em mim, ambos erramos de maneiras diferentes e acho que no fundo acabamos magoados. E senti-me cair bem no fundo do poço. A coisa que eu mais temia aconteceu e sem eu poder evitar, e cair a pique de um penhasco é terrível, mas eu sabia que era isso que ia acontecer, que ia bater bem no fundo e que levantar-me novamente ia ser uma batalha. Desde essa altura que poucas pessoas deixei se aproximarem, que poucas pessoas deixei conhecer a verdadeira Afrodite Poseidon mas houve uma pessoa que sem eu querer conseguiu derrubar toda a minha muralha e destrancar os sentimentos que eu havia fechado, e há coisa melhor do que nos voltarmos a sentir nas nuvens?! Sentia que o conhecia a imenso tempo, era tão fácil de falar e sem nunca me julgar e depois mostrava reciprocidade. Mas todos os paraísos acabam tendo o seu próprio inferno, e de um momento para o outro tudo mudou e até hoje não entendi o porque. Fui cega em confiar novamente em alguém. Mas também isto acabou por me mostrar que ainda tenho sentimentos, que não os matei como gostaria. Era tão bom ter um coração de ferro, um coração que não sentisse e que nada nem ninguém o pudessem magoar. Gostava de ser imune a sentimentos mas infelizmente não o sou mas a cada queda mais de pedra me vou tornando. E chegarei a um ponto que serei cega, surda e muda, serei imune a tudo que me possa afectar.

por Afrodite Poseidon

Verdades contidas


Acreditas que estou a exagerar
Que é impossível alguém amar assim
Mas bastava somente olhar
Para o que está dentro de mim

Dizes que são mentiras
Estas palavras e gestos
E tanto fora me atiras
Que de mim, só ficam restos

Talvez estivesse mesmo a exagerar
Talvez estivesse mesmo a mentir
Mas não, estou mesmo a sentir
Por que nos tentaria enganar?

Não quero continuar neste trem
Deixa reunir a bagagem
Já começa a cansar a viagem
Vamos parar, está bem?

Se recusas o meu pedido
Então volta-me a prender
Por ti ando tão perdido
Sem muito poder fazer

Nunca te poderei deixar
A vida é mesmo assim
Não sei parar de te amar
E hei-de continuar até ao fim

Ainda acreditas que estou a exagerar?
Que é impossível amar-te assim?
Anda, abre bem os olhos
Vê só o quão já fazes parte de mim.

MEO √da incompetência ²

Nas últimas semanas tenho vindo a descobrir o quão árduo e complexo o trabalho de uma empresa de telecomunicações é, e a dificuldade que é acrescentada pelo simples facto do cliente mudar de casa. Sim, mudar de casa torna tudo um bicho de sete cabeças para este tipo de empresas, neste caso a MEO. Pobres coitados...

Avisar duas semanas antes que a mudança vai ser efectuada não é o suficiente, pois mentes de inteligência superior não conseguem dar conta de algo tão excepcional e fora do comum como: Se existe cobertura de fibra na nova morada. Não sabem! Preferem antes que o cliente instale ADSL e se sujeite a um serviço primitivo e penoso que tão bem faz ao carácter e ao enriquecimento da alma do que oferecer a melhor solução possível.

Resignadamente, acorda-se pela ADSL, mas, no entanto, não é que no dia da instalação resolvem que afinal há fibra..! Mas em que ficamos? Esperem que assim não há ADSL para ninguém, coloquem fibra... Vamos! Mas não. A MEO não aprecia o gesto de dar fibra aos clientes, porque o problema agora é outro... Já não é o facto de não haver cobertura de fibra, mas agora não podem, porque os antigos inquilinos contraíram dívida o que impossibilita a instalação do serviço na morada. Fantástico. Mas vocês perguntam: "Mas então o que é que o cliente actual tem a ver com o anterior que contraiu dívida?" E eu respondo: Rigorosamente nada. Foi por isso que se foi levar um comprovativo de morada a uma loja que certificava que os moradores da residência eram os presentes e não os que contraíram a dívida e aproveitou-se até para pagar uma factura já com a morada correcta.

Pensei eu que a história terminava aqui com um final feliz, mas não, porque a MEO nunca deixa de surpreender na altura de criar novas barreiras à satisfação do cliente. Mais de uma semana após terem desligado os serviços na casa anterior sem instalação na nova, dizem que não podem fazer nada, pois houve um engano na digitação do andar e apartamento no sistema! Impossível, certo? Segue-se um vai e vem de telefonemas de ambas as partes a tentar solucionar o problema, mas em vão. Tudo o que se gera é uma mixórdia de contradições, gente incompetente, desperdício de tempo e paciência, em que um operador volta a insistir que não há cobertura de fibra para que depois um supervisor desminta e afirme o contrário.

Depois de tudo isto, o que resta é o divórcio, algo que aparenta ser simples, mas as crenças religiosas da MEO impedem que se facilite a rescisão e tudo o que podem fazer é deixar o cliente uma hora inteira ao telefone sem resolução do problema e sem resposta. "Aguarde pelo nosso contacto enquanto tratamos disto o mais rápido possível" - dizem eles.

A MEO pode ir para o raio que os parta.

dia 16 de março 2017

Sabem aquelas pessoas que são um desastre sentimental no amor?! Bem eu sou uma delas, um total desastre, tipo tsunami! Já me conformei que não sou uma pessoa amável, alias eu acho que não sou amável de todo (amável no sentido que seja possível me amarem) e no fundo acho que também não sei amar direito mas acho que quanto a isso posso culpar todos os sapos que me foram aparecendo... sim já sei que até se encontrar o "príncipe encanto" (como se eles existissem) é necessário beijar muitos sapos, mas chega de sapos sim?! Sapos são viscosos e feios.... ahhh e vivem em lagos! Nah nada agravel beijar sapos... e depois temos que ter em conta que nos podemos afogar no meio do lago! Oficialmente os deuses não me abençoaram com sorte no amor... muito pelo contrario! Mas o certo é que sou de extremos quando gosto bem gosto mesmo e só a ideia de me afastar me doí, mas quando deixo de gostar ate podem aparecer cobertos de ouro a minha frente que nada me fará mudar de ideias...

por Afrodite Poseidon

dia 22 de fevereiro 2017

Nunca pensei que depois do caos realmente viesse a bonança, comigo nunca foi assim. Sempre foi caos e mais caos... Todos esse caos um abanão na minha vida e a última vez que partiram meu coração foi como chegar ao fundo do poço e não ter uma maneira de o subir. As tantas era isso que eu precisava chegar bem fundo e fechar meu pobre coração para que nele não pudesse entrar mais nada, e construir uma muralha bem alta à minha volta para que ninguém pudesse chegar perto. Mas muralhas feitas de sentimentos mais tarde ou mais cedo acabam por ceder, basta é aparecer o guerreiro certo, aquele que não tenha medo do nosso caos e que de alguma maneira nos consiga trazer uma certa calma. Num certo ponto até me sinto uma traidora de mim própria pois havia sentimentos que queria mortos e enterrados, mas não estou a dizer que meu coração tenha voltado amar, amar é um sentimento muito forte e voltar já a amar seria demasiado cedo. Gostar... Acho que nestes últimos dias tenho reaprendido o que é gostar. E quem nosso muro ultrapassa e nos consegue por um sorriso no rosto merece que realmente gostemos dele... E se gostar é assim, então amar deve ser muito melhor!

por Afrodite Poseidon 

dia 16 de fevereiro 2017

Amor!
Tanto para se dizer e sem saber como... Um turbilhão de emoções numa só pessoa.
Que dizer sobre este sentimento bi-polar, que tanto nos faz sentir borboletas no estomago de felicidade como que nos faz perder a fome de tristeza! Amor visto pelos meus olhos sempre me pareceu um pouco agridoce... Talvez não acredite que existe e que não passa de um fingimento, mas provavelmente estaria a mentir a mim própria e ao que eu própria venho sentindo, tentando reprimir esse sentimentos... pois o amor é traiçoeiro.

por Afrodite Poseidon
peça filigrana pertencente ao Cindor e da autoria de Vasco Silva

Dia 15 de fevereiro 2017- parte I

Era final de tarde e chovia torrencialmente e eu passeava distraída com os fones ouvindo musica quando de repente algo vem contra mim e só me sinto cair no chão. Meio atordoada e com tudo a girar à minha volta lá estas tu, desconhecido, a olhar para mim com um olhar penetrante como nunca antes vi.
Ajudas a me levantar, perguntas se estou bem ao que respondo que sim e me convidas para tomar algo em tua casa que fica a poucos minutos, embora tente negar o convite tu não aceitas um não como resposta. Caminhamos calmamente com a chuva ainda a cair, mas a chuva não me incomoda, o que me incomoda é o arrepio que me percorre o corpo sempre que te olho. Chegamos a entrada de um prédio e delicadamente tocas no fundo de minhas costas enquanto abres a porta e me guias para dentro e em direcção ao elevador. Te olho, e vejo teu olhar serio sobre mim e vejo que ao contrario de mim não sentes os efeitos da chuva gelada sobre o corpo. Finalmente o elevador para e saímos do elevador contigo sempre atrás de mim a me acompanhar. Entramos em tua casa e tudo está escuro, sinto a tua respiração por detrás de mim, ando alguns passos e tu finalmente decides acender a luz. Depois de um longo silencio finalmente falas e dizes que eu deveria tomar um banho e me guias ate a casa de banho e me deixas um roupão, fechas a porta e me deixas só. Rapidamente tomo um banho bem quente e depois de vestir o roupão te procuro na sala e te encontro sentado já com uma roupa seca e duas chávenas a fumegarem à tua frente, me sento ao teu lado e sorrio para ti. Me ofereces para as mãos uma chávenas e dizes carinhosamente que é chocolate quente e finalmente perguntas meu nome...

por Afrodite Poseidon 

dia 13 de fevereiro 2017


Porque o amor doí e é como se nos espetassem agulhas no coração e que nos deixam para sempre marcas!
"Love fucking hurts" (Amor fodidamente doí) e essa é a verdade que ninguém pode mudar. Coração machado é como folha de papel amarrotada, nunca mais volta a ser a mesma.

por Afrodite Poseidon

Follow by Email